Eu só não consigo aceitar!

Eu só não consigo aceitar.
Ter que dividir, você era minha e me vem um ladrão, furtivo e agora tudo é pensando nele, não quero vê-lo triste, e eu!?
Eu estando aqui vendo você ir, eu aqui vendo você fazer coisas que ninguém mais iria querer ver, ouvindo coisas que ninguém mais iria querer ouvir, só porquê eu te amo e me afasto porquê te amo!!

16 Então vieram duas mulheres prostitutas ter com o rei, e se puseram diante dele.17 E disse-lhe uma das mulheres: Ah, meu senhor! eu e esta mulher moramos na mesma casa; e tive um filho, estando com ela naquela casa.18 E sucedeu que, no terceiro dia depois de meu parto, também esta mulher teve um filho. Estávamos juntas; nenhuma pessoa estranha estava conosco na casa; somente nós duas estávamos ali.19 Ora, durante a noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele.20 E ela se levantou no decorrer da noite, tirou do meu lado o meu filho, enquanto a tua serva dormia, e o deitou no seu seio, e a seu filho morto deitou-o no meu seio.21 Quando me levantei pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando eu para ele à luz do dia, eis que não era o filho que me nascera.22 Então disse a outra mulher: Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho o morto. Replicou a primeira: Não; o morto é teu filho, e meu filho o vivo. Assim falaram perante o rei.23 Então disse o rei: Esta diz : Este que vive é meu filho, e teu filho o morto; e esta outra diz: Não; o morto é teu filho, e meu filho o vivo.24 Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante dele.25 E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo, e dai a metade a uma, e metade a outra.26 Mas a mulher cujo filho em suas entranhas se lhe enterneceram por seu filho), e disse: Ah, meu senhor! dai-lhe o menino vivo, e de modo nenhum o mateis. A outra, porém, disse: Não será meu, nem teu; dividi-o.27 Respondeu, então, o rei: Dai à primeira o menino vivo, e de modo nenhum o mateis; ela é sua mãe.28 E todo o Israel ouviu a sentença que o rei proferira, e temeu ao rei; porque viu que havia nele a sabedoria de Deus para fazer justiça.” (1 Reis 3,16-28) Bíblia Almeida.
Então veja, por amor ela prefere ver seu filho longe dela do quê vê-lo morrer!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que eu ouço?